segunda-feira, 19 de julho de 2010

Apresentações e Brilho Eterno

Senhoras e Senhores
Giovanna, muito prazer! Conhecida pela a maioria como Gina (Ginah, Gi, etc). 18 anos, me escondo em Osasco/SP. Sou taurina, impulsiva e doente por livros, séries, filmes, música... Enfim, Arte!
Desde já peço perdão pelos eventuais erros de português e falta acentos. Quem faz Letras aqui é o Luis Felipe. Sou apenas uma humilde estudante do Ensino Médio.
Feita as devidas apresentações!

Bem, a ideia deste blog surgiu em uma visita que fiz para o Luis Felipe em Araraquara.
Temos duas paixões em comum: Filmes e Livros.
Durante uma semana discutimos filmes por horas e horas e então surgiu a ideia deste blog. Para expressarmos NOSSAS opniões sobre e ter um registro delas.

Apresentações: OK - Motivo do Blog: OK

Uma vez me disseram que é vergonhoso você basear um pensamento em um filme, um livro. Desde já eu digo, não é nem um pouco vergonhoso. Digo de boca cheia que muitas das minhas ideias são baseadas neles. Afinal, você conhece mais uma pessoa pelo seus gostos do que por palavras.


Definitivamente o meu filme favorito é "Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças" (Eternal Sunshine of the Spotless Mind), com Jim Carrey, Kate Winslet e Kirsten Dunst. Muitos chegaram perto do que ele significa pra mim, mas nenhum conseguiu.

Resumidamente ele se trata sobre um casal, Joel e Clementine, que após uma briga se separam. Clementine então resolve fazer um processo experimental com o intuito de apagar Joel das suas lembraças. Quando Joel descobre, fica frustrado e decide fazer o mesmo processo para esquece-la. Porém, durante o processo, Joel começa a se arrepender e tenta guardar alguma lembrança que ela existiu.

Classifico como um filme sobre: Reflexão.

Minha opnião sobre o filme:
Eu assisti ele mais vezes que consigo me lembrar e em cada uma delas minha visão sobre ele mudou.
O filme te faz uma pergunta clara: Você apagaria algo da sua mente?
Da primeira, eu quis com todas as minhas forças apagar alguém ou algo da minha memória, com isto evitar possiveis lembranças tristes ou vergonhosas.
Atualmente minha visão mudou. Eu não apagaria nada.
Toda lembrança é válida, mesmo as dolorosas. Elas te ajudam a aprender a superar e se tornar forte quando algo parecido aparecer novamente.
Interessante é a forma que o filme é mostrado, de trás para frente. As primeiras lembranças apagadas são as ruins, dai então as boas. E apartir do momento que você se esquece das coisas ruins, começa a ver com novos olhos as coisas boas que você teve em determinado momento.
Então vem outra pergunta, vale a pena apagar até mesmo as coisas boas por algo ruim que aconteceu?
Bem, vou deixar a pergunta no ar, pois cada um tem certo ponto de vista. Deixarei que você assista o filme e responda isto pra mim, para si mesmo.



No próximo post comentarei o filme Vanilla Sky, recomendo que assistam e só depois leiam minha opnião sobre ele.
(Infelizmente só achei dublado)

Beijos!

2 comentários:

Dai disse...

Oi Ginah! Prazer ^^

"você conhece mais uma pessoa pelo seus gostos do que por palavras."²e também por aquilo que a pessoa faz com as palavras. Rs

Eu me lembro de ter assistido esse filme mas não me lembro...estranho, vou assistir e daí comento com você as minhas impressões, pode ser? Mas seja como for, acredito que nada tem que ser apagado (só o que a memória esquece naturalmente). Somos o nosso histórico de lembranças, e mais.

beijo

naty . disse...

esse filme também é meu preferido.
e também há um ponto nele que é o seguinte.
ela não esquece joel por completo.
o menino que eu esqueci o nome, usa as lembraças que foram apagadas para conquistá-la... e de alguma maneira ela acha estranho parecer já tê-las vivido.
entende o que eu quero dizer?
huauhahuahua...

mas uma coisa te digo...
eu prefiro apagar as lembranças... todas... até as boas...
porque se eu ficar pensando nas boas, vou ter saudades dos momentos, etc e entrar em uma profunda deprê!... /: